Do jeitinho de Minas
Culinária regional

Por: R$ 63,00

Quando lançamos o livro A cozinha caipira de Celia & Celma (Nova Fronteira, 1994), nossa intenção era trazer à lembrança dos que viveram em meio aos sabores e aromas das cozinhas dos fogões “de” lenha – como dizemos em nossa terra – uma fatia do passado que marcou deliciosamente nossa vida na Zona da Mata de Minas Gerais e mostrar aos cozinheiros modernos uma comida simples e saborosa. Afinal, a culinária mineira é uma das principais marcas de que se orgulha nosso estado.

Até algumas décadas atrás, a rotina diária nas cidades mineiras passava forçosamente pela cozinha, um costume que aproximava as famílias, as comadres e os vizinhos: ali, na beira do fogão, uma provadinha na comida, a troca de receitas e a prosa comprida, recheada do saber da gente simples.

Os encantos da tecnologia trouxeram conforto e facilidades à cozinha moderna, gerando também uma nova mulher, que trocou as listas domésticas pela disputa no mercado de trabalho. E, coisa impensável naqueles tempos, a mulher não é mais soberana na cozinha: ela divide o espaço pacificamente com o sexo masculino.

Mas as mudanças impostas pela vida prática não apagaram inteiramente a cultura original. Quando pensamos em escrever este livro, ainda na trilha das cozinhas de ontem, e saímos a visitar as velhas amigas da família – anônimas co-autoras de uma história em comum -, descobrimos que as antigas tradições não desapareceram de todo.

Alguns dos cantos por onde passamos permanecem praticamente intactos, e as pessoas ainda vivem sem pressa, cultivando hábitos seculares como pegar água na bica, torrar os grãs de café, fazer doces em grandes tachos no terreiro e alimentar-se de sua criação e de sua horta.

E, dentro de cozinhas superequintadas, vimos as sucessoras daquelas hábeis cozinheiras de nossa infância mantendo os elos com seu passado recente e igualando-se às suas mães no domínio da arte de cozinhar. Ali, entre uma conversa e outra, vasculhamos juntas, nos guardados valiosos, os cadernos de mães e avós, para recolher as receitas mais apreciadas e típicas de cada família. A todas, nosso especial agradecimento.

Na carona dessas andanças, recolhemos também tesouros da sabedoria do povo, que são úteis e divertidos: provérbios, simpatias, adivinhas, trovas, etc. – tudo, sempre, com um pé na cozinha.

Durante o processo de elaboração deste livro fomos nos envolvendo com seu conteúdo e criamos figuras em argila, para ilustrar estas páginas, recordando nossa infância, quando brincávamos “de casinha”, fazendo panelinhas de barro colhido da beira do rio que passava no fundo do nosso quintal.

E, como cantoras, oferecemos a você um presente que é uma novidade: um CD com várias receitas, versejadas e interpretadas por nós, em ritmos bem brasileiros. É um jeito gostoso de seguir o passo-a-passo da receita, cantando!

Duas beijocas com sabor das melhores quitandas.

Algumas receitas:

Bolos do dia-a-dia
Bolo Majestade